O Fusca, projetado pelo engenheiro austríaco Ferdinand Porsche e lançado em 1938 é um dos carros mais clássicos da história da indústria automobilística. Mesmo que não seja fabricado desde 2003, é difícil encontrar quem não o reconheça.

Mas pouca gente sabe da história da criação desse carrinho tão popular. E estamos falando de antes que o ditador Adolf Hitler ordenasse a fabricação de um automóvel simples, barato e econômico.

Para entender isso melhor, é necessário voltar até meados da década de 1930, na antiga Checoslováquia, para conhecer um carro bastante luxuoso, o Tatra T87. Este carro, produzido pela modesta montadora checa entre 1936 e 1950, foi uma grande inspiração para Porsche, que comandou o projeto do Fusca.

A marca fazia relativo sucesso local e os modelos eram reconhecidos pela beleza, aerodinâmica e resistência. O T87, especificamente, tinha especificações técnicas bastante interessantes, que fizeram com que ele ganhasse a admiração de altos oficiais da Alemanha Nazista.

Por baixo do capô traseiro, o modelo contava com um poderoso motor V8 refrigerado a ar com 85 cv de potência. Essa configuração permitia ao modelo checo alcançar 160km/h, o que era superior ao limite permitido nas famosas Autobahns, que são as autoestradas federais da Alemanha, na década de 1930.

Devastada pela Primeira Guerra Mundial, na década de 1930, a Alemanha era um dos países com menor índice de motorização da Europa, o que Hitler via como um problema. Então, o ditador encomendou a Ferdinand Porsche um modelo de carro que deveria ser um dos símbolos do progresso da Alemanha, o chamado “VolksAuto”, que, em tradução livre, quer dizer “carro popular”.

Quando o Fusca finalmente foi apresentado ao público, ficou evidente que ele era muito parecido com o Tatra T87. O engenheiro austríaco Hanz Ledwinka, criador do Tatra, resolveu entrar na justiça contra o colega Ferdinand Porsche, pela mal disfarçada cópia.

E ainda teve mais: quando o Fusca foi lançado, já existia um outro modelo da Tatra, mais simples e barato, que era ainda mais parecido com o carro alemão. Era o T97. Curiosamente, Ledwinka e Porsche se conheciam, o que reforça as suspeitas de plágio.

Quando o caso foi parar nos tribunais, Porsche pretendia fazer um acordo com Ledwinka. Mas antes disso, um evento mudou a história desse processo e da humanidade: a Segunda Guerra Mundial.

A Checoslováquia, foi invadida e a fábrica da Tatra passou a produzir armas para as tropas alemãs, e o engenheiro Ledwinka foi enviado à prisão, onde permaneceu por quase seis anos, até 1951.

O processo contra Porsche foi retomado depois do fim da guerra, mas tendo como partes interessadas a Tatra e a Volkswagen. Em 1961, as duas empresas entraram em um acordo e, a gigante alemã aceitou pagar 3 milhões de marcos alemães de indenização à pequena montadora tcheca.

O que vocês acham? Foi ou não foi uma cópia?

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Fusca: um dos carros mais famosos da indústria automobilística é fruto de plágio? apareceu primeiro em Olhar Digital.