O filme ‘No Limite do Mundo’ estreou nesta sexta-feira (3), nas plataformas Claro Now, Vivo Play, Sky Play, iTunes/Apple TV, Google Play e YouTube Filmes. O longa é dirigido por Michael Haussman, conhecido por trabalhos em clipes musicais, tendo trabalhado com Madonna, Britney Spears, Rita Ora, Jennifer Lopez, Justin Timberlake, Shakira e Kanye West. Em entrevista exclusiva ao Olhar Digital, ele falou sobre a transição para o cinema.

Mesmo sendo aclamado pelos clipes musicais, ele já fez curtas, filmes comerciais e documentários. Haussman lembrou que seus clipes sempre contaram histórias. Entre seus títulos estão ‘La Tortura’, de Shakira e Alejandro Sanz, ‘Sexyback’, de Justin Timberlake e Timbaland, e ‘Jesus Walks’, de Kanye West. Para ele, levar uma mídia para a outra ajuda bastante no trabalho.

Leia mais:

“Se faz um clipe e filme, há um ritmo que outros cineastas não tem, uma disciplina visual aprendida que outros cineastas talvez não tenham. Quando você conta uma história em pouco tempo nem sempre há diálogo. Não há nada pior do que ver um filme em que a história é contada pelo diálogo, com menos ação. Eles se ajudam”, destacou, ao Olhar Digital.

Haussman lembrou que os clipes sempre tinham os personagens, um ponto de vista. “Clipes têm uma má reputação de só ter um monte de imagens sem sentido que parecem bem juntas. Eu sempre quis fazer uma história que tivesse sentido”, emendou.

E ele levou isso para ‘No Limite do Mundo’. O filme dramatiza a história real do soldado inglês James Brooke, interpretado por Jonathan Rhys Meyers (‘The Tudors’), que se tornou o primeiro raja branco de Sarawak, região norte da ilha de Bornéu, atualmente parte da Malásia. Curiosamente, o diretor já esteve no local, há 25 anos, fazendo trilhas.

no limite do mundo
Jonathan Rhys Meyers é o protagonista de Michael Haussman em ‘No Limite do Mundo’. Imagem: Reprodução

Michael Haussman voltou à ilha para filmar o longa. “As pessoas não conhecem Bornéu, mas é a terceira maior ilha do mundo. Podem reconhecer o nome, mas não sabem localizar. Fomos lá e não tinha produtoras, diretor de elenco, só íamos para a floresta fazer tudo. Você vai lá e leva tudo. Foi muito difícil, tivemos um set que levou dois meses para ser feito e foi destruído pelas monções”, lembrou.

O diretor ficou cinco meses na região. Começaram em 2018, mas não conseguiram iniciar as filmagens justamente por causa do fenômeno climático, particularmente intenso no oceano Índico e sudeste da Ásia. Por isso, precisaram voltar em 2019 e a edição do filme foi realizada em 2020.

Boa parte do elenco foi escalada lá mesmo em Bornéu. Haussman contou que Peter John, ator que interpreta Orang Kaya em ‘No Limite do Mundo’ é realmente descendente da versão real do personagem. Nomes como Atiqah Hasiholan, atriz que dá vida a Fatimah, Shaheizy Sam, o Subu do filme, e Bront Palarae, intérprete de Mahkota, são famosos na Indonésia e na Malásia. Outros realmente eram pessoas dos povos nativos que não trabalhavam com atuação.

Para o futuro, Michael Haussman já prepara outro filme para lançar antes do ano novo, baseado em uma série chamada ‘Do Not Disturb’. A edição deve acabar neste semana. Como o outro longa em que ele vai trabalhar precisa ser filmado no inverno, o diretor vai precisar esperar para o do ano que vem. Assim, no verão do hemisfério norte (de junho a setembro) do ano que vem, ele vai preparar a produção.

Perguntado se realizaria algum filme no Brasil, Haussman contou que já chegou a filmar na floresta Amazônica, mas não soube especificar em que país. Mas, ele não voltaria a gravar na mata. “Já fiz meu filme de floresta e mudou a minha vida. Faria um filme no Brasil, mas não na floresta”, concluiu o diretor.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Diretor de ‘No Limite do Mundo’ comenta transição da música para o cinema apareceu primeiro em Olhar Digital.