Auto Added by WPeMatico

A Volkswagen confirmou nesta quinta-feira, 18 de agosto, que venderá apenas carros elétricos na Noruega já a partir de 1º de janeiro 2024, acelerando o ritmo dos regulamentos locais que forçariam a gigante alemã a encerrar as vendas de veículos com motores a combustão.

A notícia foi divulgada pelo portal norueguês Postsen. Segundo a publicação, a Volkswagen cortará todas as vendas de carros a gasolina, diesel e até híbridos a partir da data referida, o que também foi confirmado hoje pelo diretor do importador de veículos da VW no país, Ulf Tore Hekneby. 

Vale destacar que o prazo do governo para encerrar as vendas de veículos a combustão no país era até o fim de 2025, o que reforça que o mercado automotivo está realmente acelerando a transição para os veículos 100% elétricos.

Veja também:

Segundo o Electrek, a decisão faz sentido, já que, de todos os carros vendidos na Noruega no ano passado, 64,5% já eram totalmente elétricos, um salto de 10% em relação ao ano anterior. Em 2022, o segmento está ainda mais aquecido no país, respondendo por 83% das vendas no mercado automotivo.

Primeira Kombi ganha versão elétrica com bateria do Tesla Model S

Falando em Volkswagen, uma unidade da Kombi T1, um dos modelos mais icônicos de toda a indústria automotiva, ganhou uma versão única e elétrica que estará à venda em breve.

Totalmente restaurada, o veículo utiliza o mesmo conjunto de baterias do esportivo Tesla Model S. Por ora, ainda não foi divulgado nenhum vídeo oficial com o carro funcionando. O que se sabe é que a T1 elétrica será negociada por meio de um leilão ainda sem data definida e lance inicial.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Volkswagen venderá apenas carros elétricos na Noruega a partir de 2024 apareceu primeiro em Olhar Digital.

A primeira Kombi produzida no exterior pela Volkswagen foi a T1, um dos modelos mais icônicos de toda a indústria automotiva. A minivan entrou para a história com um dos carros retrô mais populares do mundo.

A montadora alemã inclusive se aproveitou disso para lançar uma versão repaginada e elétrica do modelo recentemente, o ID.Buzz. No entanto, os interessados em modelos clássicos da linha devem ficar de olho em uma unidade única que estará à venda.

Trata-se de uma Kombi T1 totalmente restaurada e convertida em veículo elétrico com o mesmo conjunto de baterias do esportivo Tesla Model S.

Kombi T1 totalmente restaurada foi convertida em veículo elétrico.
Kombi T1 restaurada e elétrica será vendida em leilão. Imagem: thecollectables.nl/Reprodução

Por ora, ainda não foi divulgado nenhum vídeo oficial com o carro funcionando ou imagens que mostram como as baterias foram integradas à carroceria.

O que se sabe é que a unidade elétrica da T1 será negociada por meio de um leilão ainda sem data definida e lance inicial, diz o Autoevolution.

Kombi T1 totalmente restaurada foi convertida em veículo elétrico.
Interior da Kombi T1. Imagem: thecollectables.nl/Reprodução

Veja também:

Quem deseja uma van elétrica e mais moderna já pode investir na ID. Buzz. O aguardado modelo eletrificado e oficial da Kombi já está à venda na Europa pelo equivalente a R$ 355 mil.

Os primeiros modelos à venda vêm de fábrica com uma bateria de 77 kWh capaz de carregar em até 170 kW, o que é o suficiente para carregar de 5% a 80% em cerca de meia hora. O alcance estimado por carga é de 418 km, informa a VW.

Via: Autoevolution

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Primeira Kombi ganha versão elétrica com bateria do Tesla Model S apareceu primeiro em Olhar Digital.

Um motorista de um carro da Tesla foi filmado enquanto dormia ao volante em uma estrada dos Estados Unidos. Assista ao vídeo clicando aqui.

A tecnologia mais avançada de piloto automático da montadora de Elon Musk, chamada Full-Self Driving (FSD), é classificada como “Nível 2” pela Sociedade dos Engenheiros Automotivos (SAE) – ou seja, automação de direção parcial, quando há, ao mesmo tempo, controle de velocidade adaptativo e assistente de centralização da pista e que exige sempre um motorista ativo e engajado com a mão no volante.

A Administração Nacional de Segurança no Tráfego Rodoviário (NHTSA) dos EUA diz que nenhum veículo motorizado disponível comercialmente pode se dirigir completamente sozinho.

Leia também:

Acidente que causou três mortes é investigado

As autoridades federais dos Estados Unidos estão investigando se um Tesla envolvido em um acidente fatal na semana passada estava com seu Autopilot ativado no momento da ocorrência. No dia 12 de maio, no estado americano da Califórnia, o veículo Model S 2022 bateu em um meio-fio e atingiu equipamentos de construção, resultando em três pessoas mortas e outras três feridas.

O acidente foi adicionado a uma lista com outras 34 ocorrências sendo investigadas pela NHTSA do país. Delas, 28 ligadas ao uso de tecnologia avançada de assistência à direção da Tesla. As demais, envolvem sistemas de outras empresas.

Nos 34 acidentes da lista de investigações iniciadas desde 2016, 15 pessoas morreram e pelo menos 15 ficaram feridas. Todas as mortes – exceto uma – ocorreram em acidentes envolvendo carros da Tesla.

Além desses acidentes da lista, a NHTSA está investigando outras ocorrências, incluindo uma série de reclamações sobre o sistema de piloto automático da empresa ter acionado “frenagem fantasma” em altas velocidades sem motivo aparente.

Há dois acidentes envolvendo carros da Volvo sendo investigados pela autoridade americana. Um acidente com o ônibus espacial Navya, dois envolvendo modelos Cadillac, um envolvendo um carro Lexus e outro em que um Hyundai está envolvido. Um dos acidentes da Volvo é referente ao veículo de teste autônomo da Uber que atropelou e matou um pedestre em março de 2018.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Motorista de carro da Tesla é filmado dormindo em estrada apareceu primeiro em Olhar Digital.

China, Taiwan e Estados Unidos estão vivendo momentos de tensão nesta semana, o que preocupa o mundo inteiro devido a potência econômica e militar das duas maiores nações envolvidas. O problema foi iniciado com uma visita de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos à ilha de Taiwan.  

Acontece que a China não considera Taiwan um país independente. Na verdade, o governo chinês vê a ilha com mais de 24 milhões de habitantes como parte de seu território e a visita de Pelosi é um claro sinal de apoio às forças separatistas que apoiam a independência de Taiwan.  

Leia também!

Nancy Pelosi, um dos principais nomes da política dos Estados Unidos, é uma assídua crítica do governo da China, especialmente quando se trata dos direitos humanos, o que torna sua visita ainda mais provocativa.  

Joe Biden, presidente dos EUA, chegou a afirmar que os militares norte-americanos não viam a viagem com bons olhos. A China chegou a afirmar que estaria pronta para responder a visita da política.  

“O Exército de Libertação do Povo Chinês (EPL) está em alerta máximo e lançará uma série de ações militares seletivas para (…) defender a soberania nacional e a integridade territorial e frustrar a interferência externa e as tentativas separatistas de ‘independência de Taiwan’”, afirmou o porta-voz do Ministério da Defesa, em um comunicado. 

Nancy Pelosi
Imagem: lev radin/Shutterstock

Nesta quinta-feira (4), a China realizou o maior teste com munição real já feito próximo a Taiwan, uma clara resposta à viagem de Pelosi. O governo de Taiwan confirmou a ação e disse que ainda que navios da marinha chinesa e aeronaves militares chegaram a cruzar, por alguns instantes, a linha mediana do Estreito de Taiwan, marcação que separa os dois países. 

Após a ação, a Marinha dos Estados Unidos informou que seu porta-aviões USS Ronald Reagan está realizando operações programadas no Mar das Filipinas, no Pacífico Ocidental, um trecho de 5,7 milhões de quilômetros quadrados de oceano que inclui águas sudeste de Taiwan. 

Conheça o USS Ronald Reagan 

Nomeado em homenagem ao presidente Ronald W. Reagan, o porta-aviões dos EUA possui cerca de 332 metros de comprimento e é equipado com um sistema de armas de defesa pontual para detectar e destruir mísseis de curto alcance e aeronaves inimigas que penetraram as defesas externas. 

O porta-aviões também possui um RIM-116 Rolling Airframe Missile, um míssil terra-ar pequeno, leve e infravermelho. Além de RIM-162 Evolved SeaSparrow Missile, um tipo de míssil utilizado para proteger navios de mísseis e aeronaves de ataque. 

USS Ronald Reagan 
Imagem: VDB Photos/shutterstock

Apesar de extremamente moderno, o USSRonald Reagan não é o porta-aviões mais tecnológico da Marinha norte-americana. Este posto pertence ao USS Gerald R. Ford (CVN 78).

E, caso necessário, o Estados Unidos possui outro porta-aviões ancorado no Japão, o USS America (LHA-6), que pode ser deslocado para o Estreito de Taiwan.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

O post Conheça o USS Ronald Reagan, porta-aviões da Marinha dos EUA que pode ser usado em possível conflito entre China e Taiwan apareceu primeiro em Olhar Digital.

A General Motors (GM) e a Ford já começam a preparar o terreno para a chegada dos seus primeiros veículos autônomos. Ainda que essa realidade esteja no horizonte para o consumidor final, a dupla de gigantes do mercado automotivo enviou uma solicitação à NHTSA, a Administração Nacional de Segurança Rodoviária dos EUA, para começar a produzir carros sem volante e pedais.

No documento, ambas revelam que confiam nos seus sistemas de direção autônoma. O plano é testá-los o quanto antes nas ruas antes das concorrentes.

A GM pediu a liberação para produzir 2,5 mil unidades do Origin, seu veículo autônomo sem nenhum controle manual. Já a Ford, não especificou no relatório qual modelo pretende utilizar no seu programa de testes. 

A montadora, no entanto, declarou que a autorização “é um passo importante para ajudar a criar um caminho regulatório que permita que tecnologias autônomas amadureçam, eliminando controles e telas que são úteis apenas para motoristas humanos”.

Veja também:

Baidu lança carro autônomo com volante removível

A chinesa Baidu apresentou recentemente o Apollo RT6, o seu veículo totalmente autônomo e o primeiro construído do zero pela empresa. A novidade foi revelada na conferência de tecnologia ‘Baidu World 2022’ e um dos detalhes que chamou a atenção foi o seu volante removível.

Segundo a companhia, que firmou uma parceria com a Geely em 2021 para fabricar veículos elétricos, o carro chega ao mercado já em 2023 para se juntar à sua frota de táxis autônomos na China, a Apollo Go.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

O post GM e Ford adotam estratégia para sair na frente na corrida dos carros autônomos apareceu primeiro em Olhar Digital.

A sétima geração do Mustang ganhou uma data de apresentação oficial esta semana. A Ford confirmou que a apresentação do esportivo será no dia 14 de setembro no Salão de Detroit, EUA. Como a fabricação começa apenas em 2023, o veículo chegará ao mercado já como modelo 2024.

A notícia foi anunciada pelo CEO da montadora, Jim Farley, por meio de uma postagem no Twitter. Além da data de estreia, o executivo revelou um spoiler ao usar a hashtag #SaveTheManuals, o que indica que teremos uma versão do Mustang mais tradicional com câmbio manual.

Um dos protótipos do novo Mustang também revelou que haverá uma versão com motor V8 a combustão embaixo do capô. O que ainda não foi confirmado é se será o mesmo motor de 5.0 litros da geração atual.

Alguns rumores ainda insistem sobre uma possível versão híbrida do modelo, o que traria pela primeira vez a tração integral ao Mustang com um motor elétrico nas rodas dianteiras.

No fim, todas essas questões que ainda permanecem serão respondidas pela própria Ford em setembro.

Via: Motor1

Veja também:

Ford apresenta a F-150 mais potente da história

A F-150, considerada uma das picapes mais populares do mundo, já está em sua décima quarta geração nos EUA. Para celebrar o sucesso do modelo, a Ford também, lançou recentemente uma versão ainda mais agressiva: a ‘Raptor R‘.

O projeto é baseado na F-150 Raptor, que por si só já é um modelo aprimorado do veículo. A picape sofreu diversas alterações visuais e especialmente por baixo do capô. 

Como comparativo, a Raptor atual vem com um motor turbo V6 a gasolina de 3,5 litros, já a Raptor R é alimentada por um V8 supercharged de 5,2 litros, capaz de gerar nada menos que 700 cv e 868 Nm de torque.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Ford revela data de apresentação do novo Mustang 2024 apareceu primeiro em Olhar Digital.

O “Baleia”, avião cargueiro Airbus, pousou no Aeroporto de Fortaleza (CE), por volta das 15h25 – horário de Brasília. A aeronave está transportando o helicóptero ACH 160. 

Essa é a primeira vez que ele pousa na América Latina, fato que atraiu centenas de pessoas que registraram a chegada do gigante pelos céus de Fortaleza.  

Pelas redes sociais diversas postagens mostram o momento em que o avião chega no aeroporto da capital nordestina.  

Mas o “Baleia Beluga” se atrasou. Apesar de pousar minutos antes da previsão (16h), a chegada dele estava prevista para 13h deste domingo (24), e segundo a administradora do aeroporto de Fortaleza (CE), a demora foi ocasionada por uma tempestade no aeroporto de Dakar, no Senegal.  

A programação já vem sendo afetada desde o sábado (23), data que o “Baleia” deveria chegar, às 16h10. Em seguida, ele seguiria para o Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP)   

Ele voltaria novamente para Fortaleza (CE) na segunda-feira (25) e consequentemente para o aeroporto de Dakar, na terça-feira (26), às 12h30. 

Leia mais :

Uma potência nos céus 

O avião foi criado para substituir o primeiro Beluga, o Airbus A300-600ST, que está em operação desde 1995. 

Sua missão é transportar componentes de aeronaves da Airbus entre locais de produção na Europa e linhas de montagem finais da empresa em Toulouse, na França, Hamburgo, na Alemanha, e Tianjin, na China. 

Com 63 metros de comprimento e 8 metros de largura, o Beluga XL possui a maior seção transversal de compartimento de carga de todas as aeronaves desse tipo no mundo. 

Ele pode transportar duas asas do A350 XWB, o modelo anterior, Beluga ST, só tem capacidade para transportar uma. Com uma carga útil máxima de 51 toneladas, tem autonomia de 4.000 km. 

A empresa indicou que a aeronave está disponível para companhias de frete como um meio para transporte de cargas de maiores dimensões, tendo um dos bagageiros de maior volume entre aviões civis ou militares atualmente. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

O post Avião Baleia Beluga faz seu primeiro pouso na América Latina apareceu primeiro em Olhar Digital.

O “Baleia”, avião cargueiro Airbus, não cumpriu o seu horário programado para chegar no Brasil pela primeira vez. A chegada dele estava prevista para 13h deste domingo (24), mas segundo a administradora do aeroporto de Fortaleza (CE), ele deve pousar em terras brasileiras às 16h – horário de Brasília. 

O atraso foi ocasionado por uma tempestade no aeroporto de Dakar, no Senegal. A aeronave está transportando o helicóptero ACH 160. 

A programação já vem sendo afetada desde o sábado (23), data que o “Baleia” deveria chegar, às 16h10. Em seguida, ele seguiria para o Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP)  

Ele voltaria novamente para Fortaleza (CE) na segunda-feira (25) e consequentemente para o aeroporto de Dakar, na terça-feira (26), às 12h30. 

O avião foi criado para substituir o primeiro Beluga, o Airbus A300-600ST, que está em operação desde 1995.

Sua missão é transportar componentes de aeronaves da Airbus entre locais de produção na Europa e linhas de montagem finais da empresa em Toulouse, na França, Hamburgo, na Alemanha, e Tianjin, na China.

Com 63 metros de comprimento e 8 metros de largura, o Beluga XL possui a maior seção transversal de compartimento de carga de todas as aeronaves desse tipo no mundo.

Avião ‘Baleia Beluga’ – Imagem: Airbus

Ele pode transportar duas asas do A350 XWB, o modelo anterior, Beluga ST, só tem capacidade para transportar uma. Com uma carga útil máxima de 51 toneladas, tem autonomia de 4.000 km.

Leia mais :

A empresa indicou que a aeronave está disponível para companhias de frete como um meio para transporte de cargas de maiores dimensões, tendo um dos bagageiros de maior volume entre aviões civis ou militares atualmente.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

O post Curioso avião Beluga tem pouso atrasado no Brasil apareceu primeiro em Olhar Digital.

Elon Musk, CEO da Tesla, respondeu um tuíte afirmando que a empresa de veículos elétricos poderá ter integração com a Steam, plataforma de distribuição de jogos digitais para computadores com Windows, macOS e Linux.

Atualmente a Tesla oferece vários jogos por meio do Tesla Arcade integrado, como Cyberpunk 2077, Cat Quest, The Witcher 3, Cuphead, The Battle of Polytopia, Sonic the Hedgehog 1 e Missile Command. Alguns, no entanto, não funcionam em todos os veículos como, por exemplo, Cyberpunk 2077 e The Witcher no Model S e Model X mais novos.

Leia mais:

Também não dá para saber se os usuários da Tesla poderão comprar jogos na Steam dentro dos seus carros e se a empresa suportará todos os jogos da plataforma. “Estamos trabalhando de maneira geral para fazerem os jogos da Steam funcionarem em um Tesla ao invés de títulos específicos. O primeiro, obviamente, é algo que deveremos trabalhar a longo prazo”, tuitou Musk em fevereiro deste ano.

Esta não é a primeira vez que um Tesla recebeu um jogo em seu sistema de infotenimento. Em junho do ano passado, a empresa rodou os avançados gráficos do game Cyberpunk 2077 em um Tesla Model S Plaid durante a apresentação do modelo para o público.

Na ocasião, Musk mostrou brevemente o console do veículo e, para demonstrar a capacidade do sistema, ele rodou justamente o jogo de RPG a 60 fps. Durante a demonstração, o empresário comparou as capacidades gráficas de jogo do carro com as de um PlayStation 5.

Demonstração do Cyberpunk 2077 sendo rodado no console do Tesla Model S Plaid. Crédito: Tesla/Divulgação

Para Musk, isso será crucial para atrair os clientes para a compra dos carros autônomos, que devem começar a circular pelas ruas em um futuro próximo.

“Se você pensar no futuro em que o carro estará frequentemente no piloto automático ou no modo de direção totalmente autônomo, o entretenimento se tornará cada vez mais importante”, disse ele na ocasião.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

O post Elon Musk diz que carros da Tesla poderão, finalmente, ter integração com a Steam apareceu primeiro em Olhar Digital.

Um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento do Autopilot, sistema de direção autônoma da Tesla, Andrej Karpathy, anunciou na quarta-feira (14) que irá deixar a empresa.

A saída de Karpathy, que atualmente era chefe de inteligência artificial, acompanha uma onda de mais de 200 demissões ligadas ao desenvolvimento de piloto automático na companhia de Elon Musk.

“Foi um grande prazer ajudar a Tesla a atingir seus objetivos nos últimos 5 anos e uma decisão de separação difícil”, disse Karpathy, por meio de sua conta no Twitter. “Nesse tempo, o Autopilot passou de [um sistema para] permanência na faixa para as ruas da cidade e estou ansioso para ver a equipe excepcionalmente forte continuar essa pegada.”

O ex-executivo também afirma que não tem planos concretos para o futuro, mas planeja revisitar suas paixões de longo prazo, como trabalho técnico em inteligência artificial, código aberto e educação.

De acordo com informações da Bloomberg, Karpathy planejava voltar à Tesla neste mês após licença sabática para “descansar e viajar”.

Leia mais:

Retirada amistosa

A retirada de Karpathy parece ter sido amigável. No Twitter, o CEO Elon Musk respondeu gentilmente ao tuíte de saída do ex-funcionário. “Obrigado por tudo que fez pela Tesla! Foi uma honra trabalhar com você”, disse o magnata.

Karpathy entrou na Tesla em 2017 e assumiu a chefia de inteligência artificial após Chris Lattner, ex-Apple, ficar seis meses no cargo.

Como líder do departamento, supervisionou o crescimento e o desenvolvimento do Autopilot, o controverso software de assistência ao motorista da Tesla. Atualmente, o programa está sob investigação do governo dos Estados Unidos após a eclosão de acidentes fatais relacionados ao seu uso.

Com informações do The Verge

*Crédito da imagem principal: Askarim/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Líder de desenvolvimento do Autopilot anuncia saída da Tesla apareceu primeiro em Olhar Digital.