Auto Added by WPeMatico

‘Esqueceram de Mim’ terá um novo filme neste fim de ano, mas os fãs da franquia já podem se divertir relembrando o primeiro longa da série. A Lego já está comercializando o conjunto da casa de Kevin McCallister, com quase 4 mil peças, incluindo as armadilhas usadas pelo garoto para enfrentar os bandidos naquele natal de 1990.

O brinquedo foi anunciado nesta quinta-feira (21). Ele foi sugerido dentro do grupo Lego Ideas, onde usuários enviam suas ideias para conjuntos à empresa. Às vezes, a Lego aceita a indicação e produz, remetendo a taxa de 1% de royalties ao designer original. No caso da casa dos McCallister, o idealizador foi o ucraniano Alex Storozhuk.

Leia mais:

O designer já era fã de ‘Esqueceram de Mim’. O brinquedo idealizado por ele tem exatamente 3.955 peças, lotado de referências do filme. Há uma variedade de armadilhas, uma televisão mostrando o longa ‘Anjos de Cara Suja’, filme que Kevin deixa rolando na TV enquanto está sozinho, e até o manequim de Michael Jordan.

Entre os cinco personagens no Lego, estão o próprio Kevin, papel de Macaulay Culkin no filme, e os bandidos que invadem a casa, interpretados por Joe Pesci e Daniel Stern. Um dos bandidos tem, inclusive, o rosto queimado pelo ferro de passar, como no filme.

O conjunto ‘Esqueceram de Mim’ começa a ser vendido no dia 1º de novembro. O valor do brinquedo é US$ 249,99 ou R$ 1.414,69, na conversão direta com o dólar cotado a R$ 5,66, no site da Lego. As peças também serão vendidas nas lojas.

Esqueceram de Mim lego
O brinquedo tem quase 4 mil peças. Imagem: Lego/Divulgação

Retorno de ‘Esqueceram de Mim’:

O novo filme da franquia estreia no dia 12 de novembro. Neste, Max Mercer é o menino travesso e cheio de recursos esquecido pelos parentes, que viajam para Tóquio, no Japão. Ele é interpretado pelo britânico Archie Yates, que fez Yorki em ‘Jojo Rabbit’.

O casal Pam e Jeff Fritzovski, interpretado por Ellie Kemper (‘Unbreakable Kimmy Schmidt’) e Rob Delaney (‘Deadpool 2’), tenta recuperar uma relíquia de família de valor inestimável e se volta para a residência dos Mercer. Lá, Max é o único presente para impedir a invasão dos intrusos e faz tudo que pode para mantê-los fora de casa.

O elenco de ‘Home Sweet Home Alone’ tem ainda Aisling Bea, Kenan Thompson, Ally Maki, Pete Holmes, Chris Parnell, Timothy Simons, Andy Daly e Mikey Day. No trailer, já é possível ver a participação de Devin Ratray mais uma vez dando vida a Buzz McCallister, irmão mais velho de Kevin nos primeiros filmes de ‘Esqueceram de Mim’. Agora, ele aparece como um policial.

Via: Polygon

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

O post Lego de ‘Esqueceram de Mim’ tem 4 mil peças e armadilhas para bandidos apareceu primeiro em Olhar Digital.

A nova versão do icônico filme de natal ‘Esqueceram de Mim’ ganhou um trailer nesta terça-feira (12). A nova comédia exclusiva da plataforma de streaming Disney+ se chama ‘Home Sweet Home Alone’ em inglês e reimagina a antiga franquia, inicialmente estrelada por Macaulay Culkin nos anos 1990. O novo longa estreia no dia 12 de novembro.

Assim como os outros filmes da franquia ‘Esqueceram de Mim’, um garotinho de dez anos fica para trás quando a família toda viaja para as festas de fim de ano. Neste, Max Mercer é o menino travesso e cheio de recursos esquecido pelos parentes, que viajam para Tóquio, no Japão. Ele é interpretado pelo britânico Archie Yates, que fez Yorki em ‘Jojo Rabbit’.

Leia mais:

O casal Pam e Jeff Fritzovski, interpretado por Ellie Kemper (‘Unbreakable Kimmy Schmidt’) e Rob Delaney (‘Deadpool 2’), tenta recuperar uma relíquia de família de valor inestimável e se volta para a residência dos Mercer. Lá, Max é o único presente para impedir a invasão dos intrusos e faz tudo que pode para mantê-los fora de casa.

Home Sweet Home Alone - Esqueceram de Mim - Disney+
Mais uma criança esquecida em casa pela falta de uma chamada. Imagem: Disney/Divulgação

O elenco de ‘Home Sweet Home Alone’ tem ainda Aisling Bea, Kenan Thompson, Ally Maki, Pete Holmes, Chris Parnell, Timothy Simons, Andy Daly e Mikey Day. No trailer, já é possível ver a participação de Devin Ratray mais uma vez dando vida a Buzz McCallister, irmão mais velho de Kevin nos primeiros filmes de ‘Esqueceram de Mim’. Agora, ele aparece como um policial.

O novo filme da franquia tem roteiro de Mikey Day e Streeter Seidell, ambos do ‘Saturday Night Live’, com a história baseada em um antigo roteiro do cineasta John Hughes. Os produtores são Hutch Parker e Dan Wilson, com Jeremiah Samuels como produtor executivo. Dan Mazer dirige o filme.

Confira o trailer do novo ‘Esqueceram de Mim’:

Via: Collider / CBR

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

O post Confira o trailer do novo ‘Esqueceram de Mim’, do Disney+ apareceu primeiro em Olhar Digital.

A Disney divulgou nesta quinta-feira (7) o primeiro trailer oficial da série original ‘Bem-Vindos à Terra’, com Will Smith. A produção do National Geographic tem seis episódios e chega à plataforma de streaming do Mickey Mouse no mês de dezembro.

O trailer já mostra um pouco dos visuais deslumbrantes que a série vai mostrar. Em ‘Bem-Vindos à Terra’, Will Smith embarca em uma aventura ao redor do mundo, para explorar grandes maravilhas naturais do planeta e “revelar seus mais ocultos segredos”, diz a divulgação.

Leia mais:

“Tenho uma confissão a fazer. Nunca escalei uma montanha. Nunca nadei em um lago. Entre uma vez em uma caverna. Começo a achar que estou perdendo algo”, narra o ator no começo do vídeo de divulgação. “Pedi aos melhores exploradores da atualidade que me levassem aos confins da Terra. E eles me responderam: ‘podemos ir além disso’”, continua.

‘Bem-vindos à Terra’ tem produção executiva do cineasta indicado ao Oscar Darren Aronofsky (‘Cisne Negro’) e das produtoras Protozoa Pictures, Nutopia e Westbrook Studios de Will Smith. Acompanham o ator a bióloga marinha e exploradora do National Geographic Diva Amon, o expedicionista polar Dwayne Fields, o engenheiro e explorador do National Geographic Albert Lin, a fotógrafa do National Geographic Cristina Mittermeier e o alpinista Erik Weihenmayer.

“Achamos que conhecemos nosso planeta, mas existe ainda um mundo secreto por descobrir. Se for ao lugar certo, com o guia certo, você pode encontrar um portal para esse mundo”, prossegue Will Smith no trailer. El seguida, ele traz uma lembrança para concluir. “Minha avó dizia que as melhores coisas da vida estavam do outro lado do medo. Espero que ela tenha razão.”

O passeio por vulcões, desertos e profundidades de ‘Bem-Vindos à Terra’ conta ainda com Daniel Pemberton (‘Os 7 de Chicago’), responsável pela trilha sonora da produção.

Confira o trailer de ‘Bem-Vindos à Terra’:

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

O post Confira trailer de ‘Bem-Vindos à Terra’, com Will Smith apareceu primeiro em Olhar Digital.

A primeira série da Marvel voltada para crianças em idade pré-escolar vai estrear na plataforma de streaming Disney+ na próxima semana. ‘Spidey e Seus Amigos Espetaculares’ chega ao serviço do Mickey na quarta-feira (22), mostrando um grupo fantásticos super-heróis que são melhores amigos.

No desenho animado, a equipe trabalha enquanto enfrenta desafios perigosos com a ajuda de seus superpoderes como o sentido-aranha, a super força e as habilidades para escalar paredes. Serão sempre novas e divertidas missões protagonizadas pelos super-heróis Aranha, Miles Morales e Aranha-Fantasma, com muita ação e disposição para combater seus inimigos Rino, Doutor Octopus e Duende Verde.

Leia mais:

No trio principal, Peter Parker é o Aranha, que se tornou o amigável herói depois de ser mordido por uma aranha radioativa. “Todos os dias, ele faz o possível para proteger as pessoas porque sabe que grandes poderes vêm com grandes responsabilidades”, diz a descrição do personagem.

Peter terá a companhia de Miles Morales, o membro mais jovem da equipe. Entusiasmado e engraçado, ele adora desenhar e pintar. O herói pode ficar invisível, usando a habilidade de se esconder. Miles também usa sua picada de aranha para colocar os vilões para dormir.

Spidey e Seus Amigos Espetaculares
Além dos três heróis aracnídeos, o desenho animado também terá Ms Marvel, Hulk e Pantera Negra. Imagem: Disney/Divulgação

Por último e não menos importante, está a heroína Gwen Stacy, a Aranha-Fantasma. As habilidades de detetive dela são incomparáveis, além de ser uma boa espiã. “Quando ela não está tocando bateria, ela pode ser vista com o time fazendo sua parte para proteger a cidade dos vilões”, destaca a divulgação.

O trio principal de ‘Spidey e Seus Amigos Espetaculares’ terá também as companhas do Hulk, Ms. Marvel e do Pantera Negra para ajudá-los a derrotar os vilões. Confira a sinopse do desenho animado infantil:

Spidey, nosso lançador de teias favorito se juntou à Aranha-Fantasma (Gwen Stacey) e Miles Morales para formar a Equipe Spidey, com a ajuda do cômico, mas leal robô-aranha de Spidey, TRACE-E. Se o Spidey estiver em uma situação embaraçosa que precise de ainda mais poder de super-heróis, fique tranquilo, pois um colega Vingador chegará correndo para ajudar. Quer seja apenas a Equipe Spidey ou com um Vingador para ajudar, esses super-heróis vão trabalhar juntos para salvar o dia!

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

O post ‘Spidey e Seus Amigos Espetaculares’: primeira série infantil da Marvel estreia na próxima semana apareceu primeiro em Olhar Digital.

A plataforma de streaming Disney+ liberou o trailer e divulgou a data de lançamento do especial em animação ‘Lego Star Wars: Contos Aterrorizantes’. Em comemoração ao Dia das Bruxas, ou Halloween, que acontece no dia 31 de outubro, a produção chega exclusivamente ao serviço logo no dia 1º do próximo mês.

O especial da Lucasfilm e do Lego Group promete deixar os fãs “prontos para uma temporada de Halloween assustadoramente divertida”. O trailer traz o primeiro olhar sobre os três contos, narrados por Vaneé, dublado por Tony Hale, um leal servo de Darth Vader.

Leia mais:

A primeira história é ‘The Lost Boy’. O conto mostra a história de como o jovem Ben Solo conhece Ren pela primeira vez. Em seguida, é a vez de ‘The Dueling Monstrosities’. Este imagina como seria o renascimento de Darth Maul e o General Grievous. O último é chamado “The Wookiee’s Paw”, com o que poderia ter acontecido se todos os maiores desejos de Luke Skywalker imediatamente se tornassem realidade.

A animação mostra Poe e BB-8 realizando um pouso de emergência no planeta vulcânico Mustafar, após os acontecimentos de ‘A Ascenção Skywalker‘. Lá, eles encontram o ganancioso e conivente Graballa, o Hutt, que comprou o castelo de Darth Vader e está reformando-o para criar o primeiro hotel de luxo da galáxia inspirado nos Sith e com tudo incluso.

Ao esperar o conserto do X-Wing, a dupla resistência junto a Graballa e Dean, um garoto mecânico no planeta, se aventuram pelo misterioso castelo, junto a Vaneé. Pelo caminho, o leal servo do antigo lorde das trevas conta as três histórias assustadoras ligadas a artefatos antigos e vilões icônicos de todas as eras de ‘Star Wars’.

No caminho, Vaneé vai levando os heróis mais para o interior do castela, revelando um plano sinistro. Poe e BB-8 contarão com a ajuda de Dean para enfrentar os medos e impedir a ascensão de um antigo mal, além de, claro, escapar para reencontrar os amigos.

Mother Talzin em ‘Lego Star Wars: Contos Aterrorizantes’. Imagem: Lucasfilm Ltd.

O elenco de voz de ‘Lego Star Wars: Contos Aterrorizantes’ tem Jake Green como Poe Dameron; Raphael Alejandro como Dean; Dana Snyder como Graballa, o Hutt; Tony Hale como Vaneé; Christian Slater como Ren; Trevor Devall como o Imperador Palpatine; Mary Elizabeth McGlynn como NI-L8; e Matt Sloan como Darth Vader.

O roteiro é de David Shayne, que trabalhou ainda como produtor executivo junto a James Waugh, Josh Rimes, Jacqui Lopez, Jill Wilfert, Keith Malone, Jason Cosler e Jennifer Twiner McCarron. Daniel Cavey e Dan Langlois são os produtores. Os serviços de produção são realizados por Atomic Cartoons. A animação é dirigida por Ken Cunningham.

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post ‘Lego Star Wars: Contos Aterrorizantes’ ganha data para chegar ao Disney+ apareceu primeiro em Olhar Digital.

O episódio desta semana da série animada ‘What If…?’ da Marvel na plataforma de streaming Disney+ se chama “O Que Aconteceria Se…O Mundo Perdesse Seus Heróis Mais Poderosos”. O terceiro episódio ficou disponível no serviço nesta quarta-feira (25) e é baseado em uma história em quadrinhos dos Vingadores de 2012, chamada The Avengers Prelude: Fury’s Big Week, mas acaba “destruindo” tudo que se segue nos filmes da companhia.

O criador do desenho A.C. Bradley escolheu aquela HQ para o episódio. A revista mostrou para os fãs da Marvel como Nick Fury, dublado pelo ator Samuel L. Jackason, que interpreta o agente nos cinemas, é um cara extremamente ocupado. Atenção, o texto abaixo contém spoilers do episódio!!!

Leia mais:

Vale lembrar que a Marvel Entertainment já planejava conexões de mídia cruzada. Um pouco mais humildes, é verdade, com uma série de TV seguindo os agentes da S.H.I.E.L.D. e quadrinhos associados. Tudo antes mesmo da existência da plataforma de streaming da Disney.

Assim, ‘Fury’s Big Week’ se baseou em um fato sutil do Universo Cinematográfico Marvel (MCU): todos os acontecimentos de ‘Homem de Ferro 2’, ‘Thor’, ‘O Incrível Hulk’ e as cenas finais de ‘Capitão América: O Primeiro Vingador’ são realizados na mesma semana. O quadrinho foi escrito por Christopher Yost e Eric Pearson (que também assina parte dos roteiros de ‘Thor: O Mundo Sombrio’, ‘Thor: Ragnarok’ e ‘Viúva Negra’) e tem artes de Luke Ross, Daniel HDR, Agustin Padilla e Wellinton Alves.

what if - homem de ferro
Tony Stark é dublado na animação pelo ator Mick Wingert. Imagem: Marvel Studios

Naquela longa semana, Nick Fury e o agente Coulson deram a volta ao mundo. Eles tiraram o Capitão América do gelo, investigaram o estranho e muito pesado martelo no Novo México e deram a Tony Stark ferramentas para que ele curasse o envenenamento por paládio. Isso aconteceu enquanto Bruce Banner destruiu o Harlem com o Abominação.

Assim, o episódio de ‘What If…?’ se concentra no próprio Nick Fury e encontra um novo lado no diretor da S.H.I.E.L.D. “Sabíamos desde o início que queríamos fazer com ‘Fury’s Big Week’. Originalmente, seria quase uma farsa francesa, onde tudo continua desmoronando” , revelou Bradley, em entrevista ao site Polygon.

É aí que a Iniciativa Vingadores falha, com Fury tendo uma crise e tomando decisões erradas, dando o enredo para o episódio de ‘What If…?’. “Foi uma questão de encontrar nossos momentos favoritos nesses três filmes e descobrir maneiras de distorcê-los”, continuou o criador da série animada.

Com o episódio “O Que Aconteceria Se…O Mundo Perdesse Seus Heróis Mais Poderosos” sendo desenvolvido de trás para frente, a crise se transformou em uma bola de neve no mundo dos super-heróis da Marvel.

Via: Polygon

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Terceiro episódio de ‘What If…?’ “destrói” pedaços da Marvel nos cinemas apareceu primeiro em Olhar Digital.

Faltam apenas duas semanas para a estreia de ‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis‘, que chega exclusivamente nos cinemas no dia 2 de setembro. O novo filme do Marvel Studios é protagonizado pelo ator sino-canadense Simu Liu, que precisou treinar intensamente para viver o herói lutador de artes marciais.

A Disney destaca que o longa terá sequências de ação e artes marciais impactantes. Por isso, o ator precisou praticar diversas modalidades de luta para dar vida a Shang-Chi, um jovem formado desde a infância pela organização dos Dez Anéis. O super-herói vai embarcar em uma viagem de autodescoberta, enfrentando o passado.

Leia mais:

Liu treinou em Toronto e Los Angeles, antes de chegar em Sydney para filmar. “Eu também sabia que o Shang-Chi não é um personagem que tem uma máscara ou um traje de alta tecnologia, o que significava que eu teria que fazer muitas das coisas. Eu soube desde o primeiro dia e estava muito empolgado para começar”, confessou o ator.

Por saber que o herói não usa uma máscara, não tem um traje tecnológico ou superpoderes, Simu Liu estava ciente de que realmente precisava se empenhar. “Eu literalmente senti que estava aprendendo com os melhores do mundo. Passamos por quase todos os estilos de luta imagináveis conhecidos pelo homem, inclusive aqueles que não apareceriam no filme”, explicou.

Siu Liu como Shang-Chi
Simu Liu interpreta o herói Shang-Chi. Imagem: Jasin Boland/Marvel Studios

Entre as lutas praticadas pelo intérprete do protagonista estão Kung Fu chinês tradicional, Wushu, Hong Chen, Muay Thai, Silat, Krav Maga, Jiu-Jitsu, boxe e lutas de rua. “Shang-Chi não é apenas um mestre de Kung Fu. É uma arma humana a quem foram ensinadas todas as formas possíveis de matar uma pessoa. Então, em muitos sentidos, seu estilo não é específico quando se trata de uma disciplina de artes marciais em particular”, concluiu.

Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis’ integra a Fase 4 do Universo Cinematográfico Marvel (MCU). O longa tem direção de Destin Daniel Cretton (‘O Castelo de Vidro’) e roteiro escrito por Dave Callaham (‘Mulher-Maravilha 1984‘ e ‘Godzilla‘ de 2014). A produção é de Kevin Feige e Jonathan Schwartz.

Além de Simu Liu como o protagonista Shang-Chi, o elenco conta com Awkwafina como Katy, Tony Leung como Wenwu (o verdadeiro Mandarim do Universo da Marvel), Meng’er Zhang como Xialing, Michelle Yeoh como Jiang Nan, Ronny Chieng como Jon Jon, Fala Chen como Jiang Li e Florian Munteanu como o vilão Punho de Navalha.

Um filme baseado no herói está em desenvolvimento há cerca de 20 anos, mas o projeto só passou a avançar em 2018, quando Callaham foi contratado como roteirista. Cretton se juntou em março do ano seguinte, acelerando a produção. As filmagens começaram em fevereiro de 2020, e, Sydney, na Austrália, e São Francisco, nos Estados Unidos, mas logo foram suspensas por causa da pandemia da Covid-19.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Simu Liu treinou intensamente para protagonizar ‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis’ apareceu primeiro em Olhar Digital.

Organizações de defesa dos direitos das mulheres se posicionaram sobre o processo de Scarlett Johansson contra a Disney. Pelo menos três dos principais grupos de Hollywood enviaram comunicados protegendo a atriz. Women in Film, ReFrame e Time’s Up criticaram o estúdio pelo seu posicionamento.

“Nós nos posicionamos firmemente contra a recente tentativa da Disney de caracterizar Johansson como insensível ou egoísta por defender seus direitos contratuais”, diz um trecho da nota divulgada em conjunto pelas três entidades.

“Esse ataque machista não tem lugar em uma disputa de negócios e contribui para ambiente em que mulheres e garotas são vistas como menos capazes que os homens de proteger seus próprios interesses sem serem criticadas”, completou ainda.

Entenda o caso da Scarlett Johansson contra a Disney

novo longa da Marvel estreou simultaneamente nos cinemas e na plataforma de streaming da companhia no dia 9 de julho, há vinte dias. O lançamento nas duas mídias é agora alvo de um processo judicial, movido pela atriz Scarlett Johansson, estrela da película.

Segundo a atriz, esse lançamento simultâneo foi uma quebra de contrato. Ela entrou com uma ação na quinta-feira, no Tribunal Superior de Los Angeles, contra a Disney, alegando a violação do seu contrato com a empresa. Johansson afirma que o documento firmado com a Marvel Entertainment garantia um lançamento exclusivo nos cinemas.

O salário da protagonista de ‘Viúva Negra’ se baseava grande parte no desempenho da bilheteria do filme. “A Disney induziu intencionalmente a quebra do acordo da Marvel, sem justificativa, para evitar que a Sra. Johansson percebesse todos os benefícios de sua barganha com a Marvel”, diz o processo, de acordo com o jornal norte-americano the Wall Street Journal. Ainda segundo a publicação, a Disney não comentou o assunto.

O advogado John Berlinski, que representa Scarlett Johansson, acredita que este não será o último caso em que “talentos de Hollywood enfrentam a Disney”. “Deixam claro que, independentemente do que a empresa possa fingir, tem a obrigação legal de honrar seus contratos”, completou.

Em nota, um porta-voz da Disney defendeu que não há mérito no processo e usou palavras duras para criticar a ação movida por Scarlett Johansson. Segundo o representante, o processo é triste e angustiante, além de uma demonstração de desrespeito pelos efeitos globais prolongados ocasionados pela pandemia da Covid-19.

Confira mais detalhes sobre o posicionamento da Disney na reportagem do Olhar Digital!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Organizações defendem Scarlett Johansson em processo contra Disney apareceu primeiro em Olhar Digital.

E o clima está tenso na Casa das Ideias do Reino Mágico da Disney, em resposta ao processo movido pela atriz Scarlett Johansson, que viveu a personagem Natasha Romanoff, alter-ego da Viúva Negra, desde “Homem de Ferro 2”, de 2010, a companhia disse que a artista tem sido muito bem remunerada pelo trabalho no filme solo da personagem.

Segundo a Disney, Johansson recebeu, até o momento, US$ 20 milhões (cerca de R$ 100 milhões) por seu trabalho em “Viúva Negra”, valor que tende a aumentar. O processo de Johansson se deu pelo fato de a empresa do Mickey estar rodando o longa no seu serviço de streaming, o Disney+, durante a janela de exibição do filme em salas de cinema.

Scarlett Johansson é a 'Viúva Negra'. Imagem: Marvel Studios/Divulgação
Scarlett Johansson diz que a bilheteria do filme solo da heroína está sendo prejudicada pelo fato de o filme não estar exclusivamente nos cinemas. Imagem: Marvel Studios/Divulgação

Johansson defende que a exibição do filme na plataforma de streaming seria uma violação dos termos de seu contrato, a atriz também reclama que o potencial de bilheteria do filme estaria sendo prejudicado em uma estratégia para beneficiar o Disney+. “Viúva Negra” está em exibição tanto nos cinemas, quanto no streaming, mas é necessário pagar um valor extra, chamado de Premier Access, para ver o filme em casa.

Resposta firme

Em nota, um porta-voz da Disney defendeu que não há mérito no processo e usou palavras duras para criticar a ação movida por Scarlett Johansson. Segundo o representante, o processo é triste e angustiante, além de uma demonstração de desrespeito pelos efeitos globais prolongados ocasionados pela pandemia da Covid-19.

Leia mais:

“A Disney cumpriu totalmente o contrato da Sra. Johansson e, além disso, a liberação de ‘Viúva Negra’ no Disney+ com Premier Access melhorou significativamente sua capacidade de ganhar uma compensação adicional, além dos US$ 20 milhões que ela recebeu até agora”, dizia a nota divulgada pela empresa na noite desta quinta-feira (29).

Com informações do UOL

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Scarlett Johansson faturou mais de US$ 20 milhões com ‘Viúva Negra’, diz Disney apareceu primeiro em Olhar Digital.

A Disney sabe que tem várias fontes onde pode “beber água” como forma de se inspirar para fazer uma nova produção. Logo, imagine pegar o que funcionou com ‘Piratas do Caribe’, ‘A Lenda do Tesouro Perdido’, ‘Indiana Jones’ e talvez um pouco de outros estúdios, como ‘O Caminho para El Dorado’ e ‘A Múmia’, jogar tudo em um filme de aventura na selva, com dois atores de peso como protagonistas para, enfim, homenagear uma atração do Magic Kingdom? Bem, isso é ‘Jungle Cruise’, aposta de blockbuster do estúdio – afinal, US$ 200 milhões investidos.

Dirigido por Jaume Collet-Serra, que deixa de lado o gênero de terror para uma formato totalmente diferente, o novo longa da “casa do Mickey Mouse” entrega uma jornada cativante e bucólica, sem medo de mirar um estilo “Sessão da Tarde” para criar um épico romântico para toda a família. A Floresta Amazônica – sim, brasileiros. Nas terras tupiniquins -, onde o filme é ambientado, ganha ares e visual repleto de “mágia Disney”, trazendo um sentimento místico que outrora foi muito utilizado nas telonas, inclusive pela própria gigante do entrenimento, porém com traços mais delicados e sensíveis.

Jungle Cruise The Rock. Imagem: Disney/Divulgação
Dwayne Johnson é Frank e Emily Blunt é Lily em ‘Jungle Cruise’. Imagem: Disney/Divulgação

A história é a seguinte: com o intuito de descobrir uma árvore milenar com propriedades curativas únicas, poderosa o suficiente para transformar a medicina, a pesquisadora Dra. Lily Houghton (Emily Blunt) acaba embarcando em uma aventura cheia de emoção pela floresta com o Capitão Frank Wolff (Dwayne “The Rock” Johnson), que a guia rio abaixo em seu antiquado barco. Ao lado deles, há o excêntrico e atrapalhado irmão da protagonista, McGregor (Jack Whitehall) – que, vale ressaltar, é confirmado como o primeiro personagem abertamente gay da Disney.

Talvez seja uma combinação inusitada nos cinemas e sequer nunca pedida, mas ‘Jungle Cruise’ apresenta para nós uma dupla de protagonistas que, de prontidão, nos cativa. Ambos os atores são trajados com o arquetipo típico da famosa e famigerada “jornada do herói”, porém isso não é ruim de forma alguma. De um lado, The Rock (mais uma vez) interpreta, bem, ele mesmo – o personagem incrível, destemido, que topa qualquer parada e que faz o público gostar dele em qualquer cena. Equilibrando bem os lados cômico e aventureiro, o ator se diverte com as “piadas de tiozão” e abraça o status que tem de quase “imortal e intocável”. Admita: ele sozinho é o maior sucesso de Hollywood, atualmente.

Jungle Cruise The Rock. Imagem: Disney/Divulgação
The Rock interpreta ele mesmo em aventura da Disney, e tá tudo bem!. Imagem: Disney/Divulgação

Já Blunt é a mistura perfeita de Lara Croft e Indiana Jones. A personagem é esperta, destemida, teimosa e que em poucos segundos sai de uma situação totalmente perigosa com artimanha e destreza “à la MacGyver”, além de fazer uma dupla de protagonistas praticamente perfeita ao lado de The Rock. Aliás, como ninguém parou para pensar que uma atriz já tão reconhecida pudesse fazer um tipo de filme mais aventuresco? Claro que ela já mostrou a performance dela em ações como ‘Sicario’, ‘No Limite do Amanhã’ e outros, mas ‘Jungle Cruise’ é uma proposta completamente diferente. Enfim, não imaginaria outra pessoa para o papel.

De qualquer forma, ambos os personagens principais dividem a tela bem e atuam em sintonia um com o outro da mesma forma cativante e apaixonante, algo que é necessário elogiar na direção de Collet-Serra, que conseguiu mesclar a empatia e encanto de Blunt e The Rock com uma viagem nostálgica aos clássicos aventureiros mais amados pela geração millennial, ao mesmo tempo que ainda cumpriu a missão de homenagear a atração original responsável por trazer o filme à vida – sério, se você já foi ao ‘Jungle Cruise’, com certeza ficará perplexo com a quantidade de easters eggs relacionados ao “passeio queridinho” e criado pelo próprio Walt Disney.

jungle cruise crítica
The Rock e Emily Blunt fazem dupla cheia de carisma em ‘Jungle Cruise’. Imagem: Disney/Divulgação

E tal qual o produto do Magic Kingdom, o filme brinca e aflora de forma criativa com o imaginário infantil de “floresta selvagem”. Os brasileiros definitivamente serão pegos de surpresa ao perceberem que a aventura começa em Porto Velho, no estado de Rondônia. No entanto, o roteiro escrito a oito mãos acerta e erra muito em apresentar uma história que se passa no inicio do século 20 ao público – especialmente do Brasil – de 2021. Ao mesmo tempo em que o argumento de John Norville, Josh Goldstein, Glenn Ficarra e John Requa tenta fazer uma doce homenagem ao nosso País com um eletrizante passeio pelas águas do Rio Amazonas, a rica flora e fauna (incluindo tucanos, onças e botos-cor-de-rosa), lendas e mitos nacionais, a língua Tupi dos indígenas e etc, a produção erra no exagerado estereótipo… em praticamente tudo.

Veja bem, há certa recorrência de Hollywood em reforçar estereótipos, ainda mais com filmes ambientados na América do Sul. ‘Jungle Cruise’, infelizmente, apresenta os brasileiros (novamente) como um povo menos civilizado e a Amazônia como um lugar “cheio de perigos e pouco explorada, repleta de animais selvagens que irão te matar a qualquer momento”. Para alguns, o fator pode incomodar um pouco e, para outros, até demais. Venhamos e convenhamos, é difícil não ficar levemente chateado com alguns aspectos que referenciam (querendo ou não) a “doutrina do destino manifesto”, ainda mais quando o personagem de The Rock domestica uma onça como se fosse algo comum por aqui.

Um ponto positivo em meio aos chavões do novo longa da Disney é, com certeza, a atuação de Whitehall como McGregor. Quase um protagonista, o ator de ‘Bad Education’ abraça o papel clichê de “amigo gay” dos atores principais, todavia com a oportunidade de roubar a cena sempre que possível. Engraçado e bem construído durante todo o longa, o personagem talvez seja o ponto mais alto de todo ‘Jungle Cruise’. Mesmo assim, a Disney comete o mesmo erro com o Lefou de Josh Gad em ‘A Bela e a Fera’ (2016) e não aborda a homossexualidade do irmão de Lily de forma mais explícita – é 2021, pessoal. E o filme não é “livre para todas as idades”, caso isso for um problema. Já está mais do que na hora.

jungle cruise crítica
Jack Whitehall interpreta o primeiro personagem abertamente gay da Disney em ‘Jungle Cruise’. Imagem: Disney/Divulgação

Outros destaques do filme são os vários plot twists, algo que o diretor por trás de ‘A Casa de Cera’ não poderia deixar faltar, mesmo em uma aventura para a família. Não obstante, ‘Jungle Cruise’ peca por estender a narrativa mais do que o necessário. A produção de 127 minutos (mas que parece ter uma duração muito maior) se assemelha a um “gráfico em V”, sabe? Começa bem e, em seguida,se arrasta por um certo tempo, quase perdendo o “fio da meada” no meio da trama. Felizmente, o longa se recupera fornecendo surpresas gratas para não perder o público e atinge um clímax estupendo e cheio de ação graças à boa dinâmica Johnson-Blunt. Mesmo conseguindo se esquivar do fator “cansativo”, Collet-Serra poderia ter desenvolvido uma trama mais enxuta.

Aventure-se – e fique maravilhado – com ‘Jungle Cruise’

‘Jungle Cruise’ é uma surpresa agradável e digna de se assistir nas telonas. Ao mesmo tempo que é empossado com o propósito de homenagear a própria Disney, a aventura não esconde a inspiração em muitos outros longas dentro do gênero, como ‘Indiana Jones’ e ‘A Múmia’. As cenas de ação tornam a experiência cinematográfica ainda mais impressionante, em meio a efeitos visuais que – mesmo com downgrade em alguns momentos – são muito bem executados e figurinos de época que são um deleite à parte.

Comparado com outras tentativas semelhantes de transformar atrações de parques temáticos em fontes de receita, como ‘Mansão Mal-Assombrada’ ou ‘Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada É Impossível’, a produção estrelada por The Rock e Blunt é uma aventura que remete aos clássicos e que, em 2021, preenche um vazio deixado por franquias icônicas como ‘Piratas do Caribe’ e ‘A Lenda do Tesouro’, podendo se tornar a próxima grande saga do gênero das telonas.

‘Jungle Cruise’ é aventura que diverte à moda antiga. Imagem: Disney/Divulgação

De qualquer forma, o que há de errado com um bom escapismo à moda antiga? Absolutamente nada. ‘Jungle Cruise’ soa démodé, mas dá entretenimento ao público de uma forma tão animada, além de ser um blockbuster que traz lições valiosas, e não foge da oportunidade de falar a respeito de diversidade de gênero, importância da família, preservação ambiental e amizade.

Ficou ansioso para ‘Jungle Cruise‘? No Brasil, o filme estreia nos cinemas nesta quinta-feira, 29 de julho, e no Disney+ um dia depois por meio do Premier Access – serviço que exige um pagamento único adicional e estará disponível por tempo limitado. Saiba mais sobre a nova aventura com a sinopse e o trailer abaixo:

“Frank (Dwayne Johnson) trabalha como capitão de um barco em uma atração turística totalmente fantasiosa. Quis o destino que suas verdadeiras habilidades fossem colocadas à prova. Isso acontece quando ele conhece Lily (Emily Blunt), uma exploradora que não mede consequências para dar andamento em suas investigações. Quando ela e o irmão (Jack Whitehall) contratam Frank para comandar a embarcação numa expedição de verdade, em busca de um misterioso segredo, os perigos que os aguardavam eram mais reais do que podiam imaginar. Do mesmo roteirista de Logan (2017) e Blade Runner 2049 (2017), e do mesmo diretor de Sem Escalas (2014) e Desconhecido (2011). Baseado em um parque temático da Disney.”

Leia mais:

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Crítica: ‘Jungle Cruise’ é aventura que diverte à moda antiga apareceu primeiro em Olhar Digital.