O Zello, um aplicativo projetado originalmente com a finalidade de auxiliar pessoas a se comunicarem durante acidentes naturais, tem sido utilizado como ferramenta em cenários de agitação social. Depois de ser um dos principais instrumentos na insurreição do Capitólio em 6 janeiro, nos EUA, o app “walkie-talkie” voltou a ser utilizado por comunidades da África do Sul, durante uma recente onda de saques e protestos.

Antes que o ex-presidente Jacob Zuma decidisse se entregar às autoridades no dia 7 de julho, para cumprir a sentença de prisão a qual foi condenado, manifestações e pilhagens generalizadas ocorreram por todo o país, principalmente em Durban, sua cidade natal. Para defender suas comunidades de saqueadores, moradores montaram redes de vigias e patrulhas utilizando o Zello.

Leia mais…